Capital de Risco

O Capital de Risco é uma forma de financiamento para as PME, através do recurso a capitais próprios, por um período temporário. Pode ser aplicado a projetos de arranque, expansão, modernização e inovação empresarial com dimensão estratégica. O IAPMEI é o principal financiador público de fundos de Capital de Risco e promove a constituição destes instrumentos em parceria com a generalidade dos operadores privados a desenvolver esta atividade.

O financiamento por Business Angels (BA) contempla uma oportunidade para projetos empresariais inovadores ou com potencial de crescimento que, na maioria das vezes, tem também associada uma parceria na gestão, o que podes ser uma vantagem importante para empreendedores com pouca experiência empresarial prévia.

Os BA são investidores individuais, normalmente empresários ou diretores de empresas, que investem o seu capital, conhecimentos e experiência em projetos promovidos por empreendedores, os quais se encontram em início de atividade ou em fases críticas de crescimento. Este financiamento é feito através de uma entrada no capital das empresas, delimitada no tempo, com o objetivo de incrementação a médio prazo, normalmente de 3 a 7 anos, sendo posteriormente vendidas as participações a outros interessados.

O operador de Capital de Risco funciona como um elemento de valorização da gestão da empresa, de credibilização perante o mercado, e de acesso a uma vasta rede de conhecimento, o qual poderá resultar como elemento chave de criação de valor.

Podem beneficiar deste produto financeiro PME nacionais dos vários setores de atividade, que apresentem necessidades de capitais próprios para a implementação dos seus projetos de:

  • criação de empresas inovadoras e de base tecnológica;
  • transmissão e redimensionamento;
  • expansão, modernização, internacionalização e/ou diversificação.

As participações no capital social das empresas através do Capital de Risco assentam na realização de aumentos de capital, que podem ser acrescidos de provisões, prestações suplementares de capital ou outros instrumentos financeiros equivalentes por parte de um operador especializado de capital de risco, sendo estas as Sociedades de Capital de Risco (SCR) ou Fundos de Capital de Risco (FCR). As condições de entrada, de relacionamento, e de saída são predefinidas em Acordo Parassocial, celebrado entre os promotores e investidores de Capital de Risco. 

Sendo o Capital de Risco um instrumento de financiamento suplementar ao crédito, apresenta relativamente a este as seguintes vantagens para as empresas:

  • disponibiliza capitais próprios ajustados às necessidades das empresas;
  • não exige garantias reais ou pessoais;
  • não inclui o pagamento de encargos financeiros, na vertente de reforço/constituição do seu capital próprio, prevendo, em alternativa, a partilha do risco e da valorização da empresa;
  • facilita o acesso a capitais alheios, em consequência do fortalecimento da sua estrutura de capitais próprios.  

O acesso a este instrumento financeiro deve ser feito diretamente junto das Sociedades de Capital de Risco, através da apresentação de um Plano de Negócios e sujeito a um processo de análise e seleção baseado na credibilidade dos promotores (empreendedores/equipas de gestão) e dos projetos, tendo em consideração o potencial de valorização das PME. Consulte aqui a Linha de Funcionamento a fundos e Capital de Risco do IAPMEI e os respetivos Contatos:

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Related Posts